FATORES DE RISCO NA REDE ELÉTRICA

Há 50 anos o Brasil já enfrentava problemas com a qualidade da energia elétrica fornecida e as acentuadas variações de tensão representavam inúmeros riscos aos equipamentos da época. Hoje isso ainda é comum, num país com as dimensões do Brasil manter o nível de tensão dentro do valor nominal o tempo todo é uma difícil tarefa para as companhias de energia. Como solução, foram desenvolvidos os Condicionadores/ Estabilizadores devidamente projetados para minimizar as variações de tensão, filtrar e aumentar o grau de proteção dos aparelhos ligados à rede elétrica.


RAIOS:

Com duração média inferior a 1 segundo e correntes de até 20.000A, os raios podem danificar aparelhos a quilômetros do local de sua incidência. No Brasil temos uma ocorrência de 100 milhões de raios por ano, média de 11 Raios por Km² que o torna campeão mundial de incidência.



ACIDENTES:

Queda de linhas de transmissão devido a ventanias, batidas em postes, sobrecarga em circuitos, fortes chuvas, entre outros, são fatos corriqueiros num país com a dimensão do Brasil.



MANUTENÇÃO DE LINHAS:

Devido a manobras na rede elétrica, manutenções preventivas ou corretivas, a energia nunca está na sua forma perfeita quando está acabando ou retornando. Essa oscilação pode queimar, ou danificar aos poucos os equipamentos elétricos.





ATENÇÃO

Antes da instalação, certifique-se das condições da rede elétrica local e que os aparelhos estejam desenergizados.Verifique também a compatibilidade das tensões e potência. Em redes 220V bifásicas instale um dispositivo de proteção para cada uma das fases de alimentação (ex. disjuntor). Após esses cuidados, efetue as conexões, acione a tecla liga do Condicionador/Estabilizador e depois a tecla liga do aparelho. Não é recomendável ligar o Condicionador/Estabilizador com o aparelho na posição ligado.


Pouca ventilação, excesso de aparelhos ligados, plugar o 110V no 220V podem queimar o produto.


Os equipamentos de energia em geral trabalham quentes, e devem ser instalados em local ventilado, isento de poeira, umidade e distante de materiais incineráveis.


Os circuitos de filtragem e proteção dependem do fio terra. A não utilização do fio terra reduz drasticamente a eficiência dos circuitos de filtragem e proteção. Para um bom aterramento siga as normas da ABNT.


O aterramento é como uma válvula de escape para eliminação de impurezas e descargas elétricas. Sua ausência aumenta o risco de choques elétricos e compromete os aspectos de segurança e desempenho dos Condicionadores / Estabilizadores de Energia.


Um eletrodoméstico tem características distintas de um computador, que se distingue de um aparelho de áudio&vídeo, logo temos que solicitar um Condicionador/ Estabilizador/ Nobreak projetado para o aparelho em questão.


No caso de Nobreaks, a vida útil da bateria e sua autonomia diminuem caso operem em locais quentes, sem ventilação adequada, ou se a rede elétrica apresentar constantes quedas e/ou variações de tensão. No momento do apagão desligue os periféricos que não estão sendo utilizados para um maior aproveitamento da autonomia do Nobreak. A autonomia declarada serve apenas como referência. Um teste com o aparelho do usuário é a forma precisa de apurar o tempo real de autonomia. Nota: A destinação final inadequada da bateria pode poluir a água, o solo e causar danos à saúde. Ao final de sua vida útil a bateria deve retornar à UPSAI para procedimentos adequados de destinação final (Resolução CONAMMA 257-30/06/99.


Nos modelos Bivolt automático a seleção da tensão de entrada 110/220V é feita automaticamente já nos modelos convencionais a seleção é feita manualmente através da chave seletora.